terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Carnotauro ou Carnotaurus

Introdução

Em 1985, os paleontólogos argentinos José Bonaparte e Fernando Novas nomearam um grande dinossauro carnívoro com um crânio diferente de todos que já haviam sido descobertos. Eles o chamaram de Abelisaurus ("lagarto de Abel") devido a Roberto Abel, o diretor do museu que o descobriu. Similaridades com o Ceratosaurus fizeram os cientistas acreditarem que ele pertencia a um grupo de ceratossauros ("lagartos com chifres") anteriormente desconhecido, que eles denominaram de abelissaurídeos. As características incomuns dos abelissaurídeos incluíam um focinho curto e inclinado com ossos ou chifres espessos sobre os olhos. Pouco tempo depois, muitos membros do grupo apareceram, incluindo o Xenotarsosaurus da América do Sul, o Majungatholus  de Madagáscar, Indosaurus e Indosuchus da Índia e talvez outros da Europa. Muitos eram grandes carnívoros - eles devem ter aterrorizado os dinossauros herbívoros dos continentes do sul durante o Cretáceo.

O Carnotaurus é um membro do grupo de dinossauros conhecido como carnossauros. Esse grupo inclui alguns dos mais terríveis e conhecidos animais do gênero, como o Tyrannosaurus rex e o Allosaurus. Eles têm algumas semelhanças entre si, como as grandes e poderosas cabeças e os dentes agudos como canivetes. Mas o Carnotaurus, uma descoberta relativamente recente, distinguia-se pelo crânio mais curto e fundo que o do T rex e por pequenos chifres na testa.

Pequenos Chifres

A visão que uma vítima tinha do Carnotaurus mostra como seus pequenos olhos a encaravam parcialmente de frente, talvez ajudando a focar a presa. Sobre seus olhos, dois chifres curtos e pontiagudos estavam fixados obliquamente e para cima. Os cientistas não estão certos sobre qual era a função desses chifres - eles são muito curtos para matar, mas talvez fossem usados pelos machos para se exibirem para as fêmeas ou ameaçarem os machos rivais. Talvez um grande macho sacudisse sua cabeça para cima e para baixo para espantar rivais menores, ou talvez machos rivais permanecessem lado a lado com as cabeças abaixadas, batendo com os chifres na cabeça ou no pescoço um do outro.

Touro Comedor de Carne

De longe, o abelissaurídeo de aparência mais estranha foi o Carnotaurus ("touro comedor de carne") do final do Cretáceo da Argentina. O Carnotaurus alcançava 7,5 m de comprimento e tinha uma cabeça muito curto e maciça com chifres semelhantes aos de um touro. Outras características-chaves incluíam braços minúsculos parecendo inúteis e pernas longas e magras. Talvez o Carnotaurus caçasse atacando a cabeça de saurópodes jovens ou ornitópodes de porte médio ou se alimentasse daqueles que já encontrasse mortos. O Carnotaurus deixou para trás impressões de pele fóssil detalhadas mostrando que tinha grandes escamas rombudas e pontiagudas distribuídas em fileiras ao longo de suas costas e laterais. A pele do corpo era também coberta por uma massa de escamas discoides - talvez todos os grandes terópodes também tivessem pele com escamas.

Braços curtos

Comparados com o corpo, de tamanho equivalente a três carros pequenos, os braços do Carnotaurus eram bem pequenos. Suas longas, musculosas pernas deviam deixá-lo mais ágil que muitos outros carnossauros. Assim, era capaz de alcançar uma presa na corrida e tomá-la de surpresa. Com suas garras recurvas, prendia e feria a vítima, enquanto as poderosas mandíbulas arrancavam uns bons nacos de carne.

Cabeça leve

Apesar de forte, o crânio do Carnotaurus deve ter sido leve o suficiente para permitir fácil movimentação. Descobriram-se espaços vazios nas laterais do crânio, de modo a reduzir seu peso. Os dentes do maxilar superior eram próprios para fazer em pedaços a carne que ficava presa nos dentes inferiores, já que os braços não conseguiam segurar nada. Para cumprir essa função, os dentes do bicho cresciam até 4 cm e se curvavam para dentro.

Pele manchada

Encontrado em 1985 numa vasta área semidesértica da Patagônia, na Argentina, o Carnotaurus foi um achado espetacular. Os restos fósseis deram aos cientistas uma boa ideia de como era a pele desse dinossauro. Pelo corpo todo, da cabeça à cauda, havia fileiras de manchas e listras intercaladas. Uma sequencia de grandes rugosidades na pele começava logo depois das manchas na cabeça do animal, formando um curioso padrão em volta dos olhos e na parte superior do focinho.

Bem protegido

Pesado como um automóvel, quase tão alto quanto um elefante, o Carnotaurus corria sobre duas pernas. Sua comprida coluna vertebral era como um varal sustentando o peso do bicho, As costelas compridas davam-lhe apoio e proteção adicional.

O Equilíbrio

Quando corria, o Carnotaurus devia ser bastante desengonçado, mas mantinha o equilíbrio graças à longa e musculosa cauda. Ela compensava os movimentos do tronco e da cabeça, mantida para frente e para o alto durante a perseguição à presa.

Dados da Fera

Nome: Carnotaurus significa "Touro comedor de carne".

Tamanho: 7,5 m de comprimento e 3,5 m de altura.

Alimentação: carne.

Quando viveu: 100-90 milhões de anos atrás. Cretáceo, na América do Sul.

Gêneros aparentados: Indosuchus, Majungatholus.

Curiosidades

Carnossauro é o nome dado a vários grupos de dinossauros carnívoros. Isso inclui os grandes terópodes que andavam sobre duas pernas e tinham dedos em forma de garras pontiagudas. Usualmente, os carnossauros tinham corpos grandes, com cabeça e pescoço fortes. As pernas traseiras eram musculosas e firmes, enquanto as dianteiras eram menores. Os carnossauros possuíam dentes bem afiados em forma de punhal. São exemplos de carnossauros: T rex, Albertosaurus e Megalosaurus.

Fonte de matéria: Enciclopédia dos Dinossauros e da Vida Pré-Histórica (editora Abril) e revista Dinossauros! Descubra os gigantes do mundo Pré-histórico, volume 11 (editora Globo).

Um comentário: